domingo, 2 de setembro de 2012

ZIMBARIMBÓ 2012 - A grande festa do Carimbó de Marapanim

 

Vista aérea de Marapanim
Marapanim, terra de encantos e tradições, a “borboletinha do mar” na língua dos primeiros moradores Tupis, capital mundial do Carimbó, esse ritmo nascido da fusão das culturas ancestrais indígenas, africanas e lusitanas, aqui preservado em sua essência há mais de dois séculos. São dezenas de Mestres e cerca de 40 Conjuntos de Carimbó em atividade, distribuídos em zonas distintas (Salgado e Água Doce) no território do município, que lutam para manterem vivas suas raízes histórico-culturais mesmo sem ter o devido apoio e reconhecimento, revelando a força e a diversidade dessa manifestação nesta região.
 


Mestres de Marapanim no I Encontro Marapaniense
da Campanha do Carimbó (março/2008)
(foto por Isaac Loureiro)

Unidos em busca da valorização e reconhecimento efetivos dessa tradição, Grupos e Associações Culturais do Carimbó de Marapanim decidiram organizar um evento próprio, que proporcionasse ao mesmo tempo visibilidade e dignidade a todas as pessoas que compõem essa maravilhosa diversidade criativa. Assim nasceu o ZIMBARIMBÓ – A Festa do Carimbó – que teve sua primeira edição realizada em dezembro de 2008 na Arena do Bom Intento com a participação de mais de 20 Conjuntos de Carimbó marapanienses. A iniciativa mostrou a força e a capacidade de organização de quem realmente mantém vivo o Carimbó de Marapanim, favorecendo o protagonismo dos grupos e suas associações e fortalecendo o movimento carimbozeiro pelo registro dessa manifestação como patrimônio imaterial brasileiro.


União entre grupos e associações tornou possível a criação
do ZIMBARIMBÓ
(foto por Isaac Loureiro)
O nome ZIMBARIMBÓ é uma junção das palavras “zimba” (como era chamado o carimbó antigamente na região) e “carimbó” (a forma atual), simbolizando nosso esforço em preservar e dar continuidade a essa tradição que é fundamental para a identidade cultural do povo de Marapanim, do Pará e do Brasil.

ZIMBARIMBÓ 2012: Marapanim celebrando nossa maior tradição
 
Mantendo firme a bandeira do reconhecimento do Carimbó como patrimônio cultural brasileiro, a edição 2012 do ZIMBARIMBÓ – A Grande Festa do Carimbó de Marapanim – acontece nos dias 7 e 8 de setembro na cidade de Marapanim, no litoral atlântico do Pará, reunindo grupos e mestres do Carimbó tradicional do município e da região em um evento que pretende celebrar e proporcionar visibilidade a essa que é a grande expressão da cultura popular paraense e amazônica.

Apresentação de Grupos no I Zimbarimbó (2008)
(foto por Isaac Loureiro)
A iniciativa é dos Grupos e Associações Culturais Japiim, Raízes da Terra, Uirapuru, Borboleta do Mar, Os Originais e Flor do Mangue, em parceria com a Campanha Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro e contando com o apoio da SECULT-PA, Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves, Rede Cultura de Comunicação, Prefeitura Municipal de Marapanim, Instituto Muirapinima, Associação dos Geógrafos do Brasil – Seção Belém, CONFRAGEO, dentre outras instituições.
 

  
A abertura do ZIMBARIMBÓ 2012 acontece na sexta-feira à noite (7 de setembro), com uma grande Rodada de Carimbó na Praça da Matriz, próximo à orla da cidade, onde se apresentam músicos e dançarinos de vários grupos de Marapanim, antecipando a festa que ocorrerá no dia seguinte. Haverá também sorteio de prêmios e um Bingo Dançante, estratégia para auxiliar a angariar fundos para as despesas do evento.

Outra atividade nessa noite será o Circuito Cine-Carimbó, uma ação da Campanha do Carimbó que percorre as comunidades carimbozeiras da capital e do interior do Estado exibindo filmes sobre essa temática. No ZIMBARIMBÓ será exibido o documentário “Pau & Corda: Histórias do Carimbó”, produzido recentemente pela TV Cultura do Pará e que mostra o cotidiano de pessoas em Marapanim, Belém, Curuçá e Santarém Novo que fazem desse ritmo a sua vida. A iniciativa busca democratizar o acesso dessas comunidades à produção audiovisual paraense e brasileira.

Cartaz do Documentário"Pau & Corda"
No sábado (8 de setembro) a programação começa pela manhã no Barracão do Grupo Uirapurú, onde acontece o 3º Encontro de Mestres e Mestras do Carimbó de Marapanim, um espaço de diálogos e vivências entre mestres e mestras tradicionais do município e região. Mediado pela Campanha do Carimbó, o encontro pretende reunir saberes e fazeres de várias tradições importantes do Carimbó, como os instrumentos artesanais, os batuques, as danças típicas, buscando contribuir para o reconhecimento da importância desses mestres na preservação e transmissão da cultura tradicional às novas gerações.
 
O saudoso Mestre Bento no 1º Encontro dos
Mestres de Marapanim (2008)
(foto por Isaac Loureiro)
Pela parte da tarde o evento se inicia com o tradicional Cortejo do Mastro de São Benedito, que sairá da residência do Mestre Melentino Gomes (Mestre Meleco), homenageado pelo ZIMBARIMBÓ 2012. Percorrendo as ruas da cidade ao som do legítimo carimbó do Grupo Uirapurú, o Cortejo do Mastro seguirá até o local do evento, no Bosquinho de Marapanim, onde será feita a cerimônia de levantação do mesmo.
Mestre Melentino, lenda viva da flauta artesanal do carimbó,
homenageado do ZIMBARIMBÓ 2012
(foto por Isaac Loureiro)

E a noite de sábado será então tomada pelo legítimo Carimbó Pau e Corda, com a apresentação no palco do ZIMBARIMBÓ 2012 de vários grupos representativos da diversidade carimbozeira de Marapanim e do Pará. A programação da mostra musical contará com a participação de 12 Conjuntos de Carimbó do estilo Raiz, sendo 11 do município de Marapanim e um convidado de Belém pelo Circuito ZIMBA PARÁ, o grupo Sancari.
 
Dançarinos tradicionais no ZIMBARIMBÓ 2008
(foto por Isaac Loureiro)
O evento oferece uma boa amostra da qualidade e beleza do carimbó marapaniense, com grupos da cidade e das regiões do interior do município mostrando sua arte e peculiaridades, um verdadeiro tesouro para quem gosta e reconhece a importância da cultura de nosso povo. Por lá passarão os Conjuntos Japiim, Borboleta do Mar, Os Filhos de Marapanim, Flor do Mangue, Uirapuru, Flor da Cidade, Uirapuru Mirim, Os Originais e Raízes da Terra, além dos grupos Verde Rama (da Vila Boa Esperança, região da Água Doce) e Alegria de Porto Alegre (da Vila Porto Alegre, região da Água Salgada). Segundo a coordenação do evento, a intenção era envolver mais grupos nesta edição, mas em função de limitações financeiras não foi possível ampliar o número de participantes.


Valorização e dignidade para os artistas do carimbó
(foto por Isaac Loureiro)
O ZIMBARIMBÓ 2012 faz parte do CIRCUITO ZIMBA PARÁ, projeto que integra diversos festivais e eventos promovidos por grupos e comunidades vinculados à Campanha Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro. Todas as atividades do evento serão gratuitas e abertas ao público.

SERVIÇO:

  • O que: ZIMBARIMBÓ 2012 – A Grande Festa do Carimbó de Marapanim
  • Quando: 07 e 08 de setembro de 2012
  • Onde: Praça da Matriz e Bosquinho Municipal (ao lado do terminal Rodoviário), Marapanim, Pará

Contatos e Informações:

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

O PAU & CORDA DO CARIMBÓ REAFIRMA A CULTURA POPULAR EM BELÉM


É noite no Bairro da Pedreira, em Belém. Os tambores, banjos e maracás se preparam para espalhar seus sons ancestrais nas ruas dessa metrópole cravada no coração da Amazônia, ás margens do Guajará. Mãos habilidosas enfeitam o mastro com fitas coloridas e muita esperança, preparam comidas e as roupas de festa, ritos herdado de outras épocas e lugares, gestos que nos (re)conectam com nossa identidade e ancestralidade cabôca, indígena, africana e lusitana, entre outras...

Levantação do Mastro em 2011 (foto: Acervo SANCARI)

São os preparativos para “O Pau & Cordado Carimbó – Ano IV”, projeto que busca valorizar, reafirmar e dar visibilidade às expressões culturais populares e tradicionais do Pará, em especial o Carimbó e as brincadeiras infantis, promovendo ações que favorecem o acesso, a fruição e a vivência dessas manifestações pela população que habita no meio urbano de uma grande metrópole como Belém, mas que mantém vínculos de origem e identidade com o vasto interior do Estado.

Crianças da comunidade participam da corrida do saco em 2011 (acervo SANCARI)


O evento foi realizado pela primeira vez em agosto de 2009 na Passagem Álvaro Adolfo, no multicultural bairro da Pedreira, em Belém, sendo uma iniciativa do Grupo de Carimbó SANCARI, cujos integrantes moram nesse local. A intenção era comemorar o Dia Nacional do Folclore (22 de agosto) e o Dia Municipal do Carimbó (26 de agosto, data de nascimento do Mestre Verequete), duas datas de grande importância cultural mas que sempre passavam em branco nos calendários oficiais.

Mestre Verequete e Mestre Cizico no I Pau & Corda em 2009 (foto: acervo SANCARI)
Mantendo essa dupla celebração em torno do Folclore e do Carimbó, o evento hoje faz parte do Circuito Zimba Pará, projeto que integra diversos festivais e eventos promovidos por grupos e comunidades vinculados à CampanhaCarimbó Patrimônio Cultural Brasileiro.

Cineasta Luiz Arnaldo, diretor do filme "Chama Verequete", participando do Circuito CINE CARIMBÓ
no Pau & Corda 2011 (acervo Campanha do Carimbó)

O Pau & Corda do Carimbó será realizado na Cidade de Belém, na Passagem Álvaro Adolfo, Bairro da Pedreira, e na Praça da República, no período de 18 à 26 de Agosto de 2012. Nesta IV Edição está prevista uma ampla programação, com o enterramento e derrubação do Mastro Festivo (tronco de árvore enfeitado, pintado e erguido pela população em celebração coletiva), ações de educação ambiental, mostra de vídeo sobre cultura popular (Cine Carimbó), oficinas culturais (banjo, danças regionais), brincadeiras infantis tradicionais (corrida de saco, quebra pote, cabo de guerra, entre outras), além da apresentação de artistas da música popular paraense, com destaque especial para o legítimo Carimbó Pau & Corda, do qual o Grupo Sancari é um dos fiéis representantes no meio urbano. Veja AQUI a programação completa.

Grupo SANCARI no Pau & Corda 2011 (acervo SANCARI)

A proposta é voltada para a inclusão da comunidade em geral e a democratização do seu acesso a essa produção cultural que muitas vezes está presente na própria comunidade, em diálogo com artistas de outras diferentes comunidades e tradições.

Boi Malhadinho, do Bairro do Guamá, no Pau & Corda 2011 (acervo SANCARI)

O projeto Pau & Corda do Carimbó, se insere nesse esforço coletivo e ainda difuso de oportunizar visibilidade e reconhecimento à nossa cultura popular tradicional, fomentando um valioso diálogo entre os mestres, grupos e comunidades desse fazer cultural que seguem sua tradições e não deixam a brincadeira morrer, tanto no interior quanto na capital do Estado.

Grupo Unidos do Paraíso, de Sta. Bárbara do Pará, na edição 2011 (acervo SANCARI)

A realização é do Grupo de Carimbó Sancari, em parceria com a Campanha Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro , contando com o apoio da Fundação Cultural Tancredo Neves, Ná Figueredo, ARTEPAM, SESC/PA, entre outros aliados. Todas as atividades do evento serão gratuitas e abertas ao Público.

SERVIÇO:
·    O que: “O Pau & Corda do Carimbó – Ano IV”
·    Quando: 18, 24, 25 e 26 de agosto de 2012
·    Onde: Passagem Álvaro Adolfo, entre Marquês de Herval e Pedro Miranda, próximo à Tv. Curuzú, Pedreira, Belém.

Mais informações:
·    (91) 3228-0949 | 9607-3710 | 8722-9502

domingo, 1 de julho de 2012

\ARRASTÃO DO PAVULAGEM ENCERRA CONVOCANDO PARTICIPAÇÃO POPULAR NAS POLÍTICAS DE CULTURA

ARTISTAS PARENSES CONTINUAM MOBILIZAÇÃO PELA PARTICIPAÇÃO NO PROCESSO DE ELEIÇÃO DO CNPC E COLEGIADOS SETORIAIS DO MINC

Arrastão do Pavulagem pelas ruas de Belém (Foto: Alexandre Yuri-2012)

Ativistas, mestres, brincantes, produtores e fazedores de cultura do Pará dão continuidade à mobilização pela participação popular no processo eleitoral para o Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC) do Ministério da Cultura. Neste domingo, 1º de julho, acontece em Belém o encerramento do Arrastão do Pavulagem, maior evento cultural de rua da quadra junina paraense, que há mais de 25 anos vem reunindo milhares de pessoas ao som dos ritmos tradicionais do Pará e da Amazônia e promovendo a valorização e o reconhecimento da cultura popular tradicional desta região.

Durante o Arrastão deste domingo o público será novamente informado a respeito das eleições do CNPC e sobre a importância da participação dos fazedores de cultura e da sociedade civil nesse processo, considerando que o Conselho Nacional de Política Cultural do MinC é o mais importante instrumento de participação e controle social no que diz respeito às políticas culturais executadas pelo Governo Federal atualmente. A intenção é repetir a ação realizada no Arrastão do dia 17 de junho passado.

Voluntários da Campanha Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro e do Instituto Arraial do Pavulagem estão juntando seus esforços com vários outros parceiros para mobilizar principalmente os grupos, mestres, brincantes e comunidades do universo das Culturas Populares da região, um dos segmentos culturais que hoje tem assento no CNPC e que vem enfrentando grandes dificuldades para participar desse processo. A dificuldade maior está no acesso a internet e ao conhecimento básico de informática necessários para cadastrar eleitores e candidatos no site criado pelo MinC para realizar não apenas a inscrição dos interessados, mas também a própria eleição dos representantes de cada segmento cultural em cada Estado da Federação. Isso explica em parte o baixíssimo número de pessoas cadastradas até o dia 24 de junho em todo o país, data em se se encerraria o prazo para quem quisesse participar.

Essa opção preferencial pela utilização do meio virtual tem sido bastante criticada por vários setores culturais, como os indígenas e as culturas populares, que cobram uma alternativa mais simplificada que facilite a participação dos setores que mais sofrem com a exclusão digital. Um sinal desse descontentamento foi a reclamação feita por lideranças indígenas durante atividade promovida pelo MinC na Rio+20, que somadas a inúmeras outras manifestações de artistas e ativistas culturais em sites, blogs, redes sociais e eventos culturais em todo o país pressionam o Ministério por mudanças na forma como vem sendo conduzido o processo eleitoral do Conselho e seus Colegiados.

Um dos resultados da pressão da sociedade foi a recente prorrogação dos prazos para todas a etapas desse processo, começando com o prazo de inscrição de participantes que seguirá aberto até o dia 8 de agosto (veja aqui). Caso não houvesse sido prorrogado esse prazo, a maioria dos Estados não teriam quórum suficiente sequer para eleger um candidato para o fórum nacional dos diversos segmentos culturais.


MUTIRÃO PELA DEMOCRACIA CULTURAL
 
 
Com a prorrogação do prazo de cadastramento virtual até agosto, e diante da negativa do MinC até o momento em oferecer uma alternativa que proporcione mais acesso a quem não tem computador e internet, a solução encontrada pelos ativistas das culturas populares no Pará é a mobilização de parcerias solidárias entre entidades, redes e movimentos para garantir que as pessoas, os grupos e as comunidades desse segmento possam ter garantidas as condições mínimas a esse acesso e participação, afinal de contas um direito que deveria estar assegurado desde o início.
 
Com a colaboração de voluntários, estão sendo organizados vários mutirões para o cadastramento virtual junto aos mestres e grupos culturais populares durante todo o mês de julho, tanto na região metropolitana de Belém quanto no interior do Estado. Usando notebooks ou pc's, internet móvel ou wireless, scanners ou câmeras digitais, reunindo em barracões, nas casas dos mestres ou em lanhouses da periferia, esse voluntários pretendem fazer o que for possível para garantir que a diversidade cultural paraense esteja dignamente representada nesse processo, participando ativamente desse momento histórico da cutura brasileira.
 
O primeiro mutirão de cadastramento em Belém acontece nos dias 5 e 6 de julho (quinta e sexta), na sede do Instituto Arraial do Pavulagem, que fica em frente à Estação das Docas, no início da Av. Presidente Vargas. O horário é de 17 às 20 h. Os interessados em fazer seu cadastro devem levar seus documentos pessoais (CPF e RG), comprovante de residência e seu currículo impresso ou manuscrito. Caso queiram se candidatar a uma das vagas para o fórum nacional, devem levar também uma carta de apoio de uma entidade/instituição da respectiva área cultural referendando seu nome.
 
Outros mutirões estão sendo organizados em bairros de Belém (Guamá, Pedreira, Pratinha, Outeiro, Icoaracy,Terra Firme...) e em diversas cidades como Ananindeua, Marapanim, Bragança, Soure, Santarém Novo, Salinas, Capanema, Curuçá, Pirabas, entre outras.
 
Qualquer pessoa que queira colaborar como voluntário ou cedendo algum equipamento, passagens de ônibus (urbano e intermunicipal) e barco, lanches ou local para realização dos mutirões, podem entrar em contato com os organizadores do movimento pelos telefones (91) 8263-9738 / 8722-9502 / 9137-9017 (Isaac Loureiro), (91) 8120-6634 (Alan Carvalho), (91) 9608-0982 (Silvia) ou pelo email carimbopatrimonioculturalBR@gmail.com 
 
Informações sobre o processo eleitoral do CNPC também estão disponíveis na Representação Regional Norte do Ministério da Cultura, cuja sede fica em Belém na Av Governador José Malcher, 474. Os Telefones de contato são (91) 3073-4150/ 3073-4154.
 
 
A eleição é para os novos membros CNPC e dos Colegiados Setoriais, organismos do Ministério da Cultura responsáveis pela formulação e acompanhamento das políticas de cultura nacionais e que exercem papel fundamental para fortalecer a participação e controle social dessas políticas. São nessas instâncias que se dá a representação da sociedade civil através dos diversos segmentos culturais brasileiros. Atualmente são 19 segmentos artístico-culturais que compõem o Conselho e seus colegiados setoriais, reunindo representantes de todas as regiões do país que serão eleitos a partir e fóruns estaduais e nacionais de cada área cultural, que compreendem tantos o campo das linguagens artísticas (dança, teatro, música, artesanato, livro/leitura/literatura, artes visuais, entre outras) quanto o campo das expressões de identidades (culturas populares, indígenas e afrobrasileiras).
 
O processo eleitoral foi definido através de portarias ministeriais (veja aqui) e iniciado no dia 14 de maio a partir do lançamento pelo MinC da plataforma virtual http://www.cultura.gov.br/setoriais/ criada para cadastrar os eleitores e candidatos em todo o país. O prazo para esse cadastramento virtual foi prorrogado e vai até o dia 8 de agosto, com a votação também virtual acontecendo no mês de setembro para a escolha dos delegados estaduais ao fórum nacional de cada segmento. A realização dos fóruns nacionais ocorrerá no mês de novembro em Brasília, onde será feita a eleição dos membros titulares e suplentes dos colegiado setoriais e do plenário do Conselho Nacional.


Contatos e informações:
 
(91) 8722-9502 | 8263-9738 | 9137-9017 (Isaac Loureiro)
(91) 8120-6634 (Allan Carvalho)
(91) 3073-4154 / 3073-4155 (Representação Regional Norte do Ministerio da Cultura)   

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Cultura paraense no ritmo da participação

ARTISTAS PARENSES SE REÚNEM PARA DISCUTIR O PROCESSO DE ELEIÇÃO DO CNPC E COLEGIADOS SETORIAS DO MINC
Ativistas, mestres, brincantes, produtores e fazedores de cultura do Pará se reúnem em Belém nesta segunda, 18 de junho, às 18 horas, na sede do Instituto Arraial do Pavulagem para discutir sobre a participação paraense no processo eleitoral para o Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC) do Ministério da Cultura.
 
 
A eleição é para os novos membros CNPC e dos Colegiados Setoriais, organismos do Ministério da Cultura responsáveis pela formulação e acompanhamento das políticas de cultura nacionais e que exercem papel fundamental para fortalecer a participação e controle social dessas políticas. São nessas instâncias que se dá a representação da sociedade civil através dos diversos segmentos culturais brasileiros. Atualmente são 19 segmentos artístico-culturais que compõem o Conselho e seus colegiados setoriais, reunindo representantes de todas as regiões do país que serão eleitos a partir e fóruns estaduais e nacionais de cada área cultural, que compreendem tantos o campo das linguagens artísticas (dança, teatro, música, artesanato, livro/leitura/literatura, artes visuais, entre outras) quanto o campo das expressões de identidades (culturas populares, indígenas e afrobrasileiras).
 
 
O processo eleitoral foi definido através de portarias ministeriais (veja aqui) e iniciado no dia 14 de maio a partir do lançamento pelo MinC da plataforma virtual http://www.cultura.gov.br/setoriais/ criada para cadastrar os eleitores e candidatos em todo o país. O prazo para esse cadastramento virtual vai até o dia 24 de junho, com a votação também virtual acontecendo no período de 28 de julho a 19 de agosto para a escolha dos delegados estaduais ao fórum nacional de cada segmento. A realização dos fóruns nacionais ocorrerá no perído de 19 e 20 de setembro em Brasília, onde será feita a eleição dos membros titulares e suplentes dos colegiado setoriais e do plenário do Conselho Nacional.
 
 
Página de cadastro virtual do processo eleitoral
 
 
A forma como está sendo realizado o processo eleitoral tem recebido várias críticas e questionamentos por parte de vários segmentos culturais e dos seus representantes no próprio CNPC e nos colegiados setoriais, que enviaram recentemente uma carta à ministra Ana de Holanda cobrando esclarecimentos sobre a questão (veja aqui). Entre os principais problemas levantados pelos conselheiros está o não cumprimento pelo MinC da proposta de normatização do processo eleitoral aprovada pelo Conselho em fevereiro de 2012, que previa entre outras coisas a realização de fóruns estaduais setorias de forma prioritariamente presencial e uma ampla divulgação do processo pelo Ministério para garantir a plena participação das pessoas.
 
 
A decisão do MinC de privilegiar a internet como o único canal para essa participação tem gerado reclamações por parte das organizações e movimentos culturais, principalmente nos segmentos das culturas populares, indígenas e afrobrasileiras, que sofrem com a exclusão digital ainda gritante no Brasil. No Pará e região Amazônica, essa dificuldade de acesso ao meio virtual é ainda maior e pode resultar em uma baixíssima participação dos artistas, mestres, comunidades e grupos culturais que são parte fundamental da diversidade cultural brasileira e que correm o risco de serem excluídos desse processo.
 
 
"Nós tentamos cadastrar nossos mestres e representantes várias vezes, mas a conexão caía sempre antes da gente concluir. Desse jeito fica difícil participar...", relata Josinaldo Reis, vice-presidente da Irmandade de São Benedito de Bragança. "Se isso ocorre em uma cidade do porte de Bragança, imagine o que acontece em cidades menores ou nas comunidades do interior do interior, onde estão a maior parte de nossos mestres e mestras, populações indígenas, quilombolas e ribeirinhas", comenta Isaac Loureiro, coordenador da Campanha Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro e que representava as Culturas Populares no Conselho, cujo mandato que se encerrou agora.
 
 
A reunião nesta segunda-feira é justamente para tentar discutir essas questões, mobilizando os segmentos culturais para buscarem assegurar seu direito à participação cidadão e também para sensibilizar o próprio MinC sobre a necessidade de rever a opção de realizar o processo apenas por meio virtual. Há inclusive propostas no sentido de pedir a prorrogação do prazo estipulado para cadastro, considerando que a maioria dos interessados sequer foi informado do processo em andamento. Há também propostas de organização de equipes formadas por voluntários para cadastrar os grupos, mestres e demais agentes culturais nos bairros e comunidades da capital e do interior paraense. "Mesmo com todas as dificuldades temos que buscar uma participação forte e representativa do Pará e da região amazônica nesse processo, para termos a possibilidade de poder propor e defender nessas instâncias nacionais políticas culturais que atendam às necessidades de nossa região e de nossos segmentos", ressalta Isaac.
 
 
CNPC em reunião
A reunião está sendo organizada por várias organizações e movimentos culturais, como o Instituto Arraial do Pavulagem, Campanha Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro, Federação das Associações e Cooperativas de Artesãos do Pará, Rede Dança Pará, Associação Paraense de Dança, entre outros. Já está confirmada a participação da Representação Regional Norte do Ministério da Cultura. A atividade é aberta à participação de qualquer interessado no processo.
 
 
Serviço:
O que: Reunião sobre o processo eleitoral do CNPC e Colegiados
Quando: 18 de junho (segunda-feira), a partir das 18 h
Onde: na sede do Arraial do Pavulagem, em frente à Pça. do Pescador, próximo à Av. Presidente Vargas, Belém-PA
 
 
Contatos e informações:
 
(91) 8722-9502 | 8263-9738 | 9137-9017 (Isaac Loureiro)
(91) 8120-6634 (Allan Carvalho)

sexta-feira, 18 de maio de 2012

A Barca das Letras nas águas do Carimbó


Parceria entre a Campanha do Carimbó, Espaço Tio Milico e o Movimento NossaCasa estimula a leitura e a solidariedade na Vila de Fortalezinha, Ilha de Maiandeua .


Nos dias 26 e 27 de maio, a Barca das Letras vai navegar nas águas do Carimbó praiano e atracar na Vila de Fortalezinha, na mítica Ilha de Maiandeua, localizada no município de Maracanã, no litoral paraense. Sendo uma das comunidades que integram a APA Algodoal-Maiandeua, Fortalezinha é um lugar mágico onde as pessoas simples ainda mantém vivas tradições ancestrais e um modo de vida ancorado na partilha e no respeito à natureza e suas forças.
Mestre Pedro e Mestre Roque na barca para Fortalezinha (2008)

A convite da Campanha Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro, os artivistas do Movimento NossaCasa de Cultura e Cidadania se preparam para levar livros e solidariedade às crianças, jovens e adultos do Espaço Cidadão Tio Milico, organização cultural comunitária que desenvolve um belíssimo trabalho de afirmação cultural e cidadania através da tradição do carimbó pau e corda, uma manifestação que resiste ao tempo nessa pequena vila de pescadores.

A ação com a Barca das Letras na comunidade envolve uma campanha de arrecadação solidária de livros, gibis, revistas e materiais didáticos para serem doados à “piquenada” de Fortalezinha e à “Cascoteca” do Espaço Tio Milico, uma inusitada e criativa biblioteca comunitária com um formato de casco (ou canoa) que está sendo montada carinhosamente pelo coordenador do Espaço, Manoel Preto.

Grupo Tio Milico com Mestres Pedro e Montano
Além disso, serão realizadas atividades lúdicas e de educação ambiental com a molecada e a comunidade em geral, culminando com uma grande festa de carimbó ao som dos tambores do grupo “Tio Milico”, formado pelas crianças e jovens da Vila com a participação de mestres tradicionais como Pedro Papo-Fundo, da cidade de Maracanã. O grupo é resultado dos projetos desenvolvidos pelo Espaço Tio Milico que buscam valorizar e garantir a continuidade do tradicional sotaque praiano do carimbó típico da Ilha de Maiandeua, promovendo ações de transmissão dos saberes dos mestres aos jovens carimbozeiros da Vila.


O Movimento NossaCasa de Cultura e Cidadania, criado em 2008 pelo arte-educador amapaense Jonas Banhos, busca contribuir para a formação do novo cidadão vivente às margens dos rios, lagos e igarapés da Amazônia, garantindo assim o acesso ao livro, à leitura e à literatura a moradores de comunidades tradicionais/originárias. Nestes quatro anos de caminhada, já foram distribuídos gratuitamente por meio da Biblioteca Itinerante Barca das Letras mais de 30(trinta) mil livros e realizadas diversas ações culturais em dezenas de comunidades dos Estados amazônicos do Amapá, Pará e Roraima.

A Barca das Letras é uma ação que promove a solidariedade, a cidadania e o estímulo à leitura junto a essas comunidades, em especial suas crianças, adolescentes e jovens. Os livros sempre são arrecadados em campanhas permanentes mobilizadas pelas redes sociais, em eventos culturais promovidos por parceiros do Movimento NossaCasa e em intervenções urbanas realizadas uma vez por mês em Brasília e agora também em Belém, onde um coletivo do movimento se organizou recentemente. Toda a ação é feita por voluntários amantes da leitura(arte-educadores, escritores, músicos, ativistas culturais) que juntos e misturados formam a Trupe Cultura Viva e utilizam de suas artes diversas para aproximar o livro do cotidiano das crianças, de 0 a 108 anos, que vêm brincar na Barca.
Leitoras mirins em Santarém Novo (2011)

As “mochiladas culturais”, como os artivistas chamam cada viagem da Barca até as comunidades, envolvem também diversos parceiros locais e da região, fortalecendo e potencializando as organizações da própria comunidade e as iniciativas culturais que já desenvolvem.

A parceria com a Campanha Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro foi iniciada em dezembro de 2011, com a participação de Jonas nas atividades do 10º FEST RIMBÓ - Festival de Carimbó de Santarém Novo, evento realizado pela centenária Irmandade de Carimbó de São Benedito.
Barca das Letras no Fest Rimbó em Santarém Novo (2011)

Ação de arrecadação de doações acontece neste domingo em Belém e Brasília

Mobilizando a solidariedade de quem mora em Belém e região metropolitana, artivistas da Barca das Letras, da Campanha do Carimbó, da Associação de Quadrinhistas Ponto de Fuga, Roda de Tambores e outros parceiros promovem uma intervenção cultural na Praça da República, neste domingo (20 de maio), voltada para arrecadar doações a serem levadas até Fortalezinha no final de semana seguinte.

As atividades acontecerão a partir das 09 da manhã, ao lado do Teatro Waldemar Henrique, com a realização de varal de fotos/poesia/quadrinhos, contação de estórias, oficinas lúdicas, batuques e muita alegria. Vá lá e leve as crianças...

Já em Brasília, a ação ocorrerá, como de costume, no Eixão do Lazer (107/108 Norte). Por lá também haverá Varal de Poesia, Exposição de Artesanato das comunidades ribeirinhas já visitadas pela Barca das Letras, Art&reciclagem e roda de conversa sobre Trabalho Escravo na Amazônia, com o escritor e jornalista amazônida Pedro César Batista. A partir das 8h30 até 12h30.
Informações e Contatos:

- Claúdio Cardoso [Movimento NossaCasa em Belém] (91) 88822908 / cromosm@hotmail.com  
- Jonas Banhos [Movimento NossaCasa AP/DF] (61) 8167 1254 / jonasbanhosap@gmail.com  
- Manoel Preto [Espaço Cidadão Tio Milico/Fortalezinha] (91) 9964-8437 / pretotiomilico@hotmail.com  
- Isaac Loureiro [Campanha Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro] (91) 8722-9502 / 8263-9738 / carimboparimonioculturalBR@gmail.com

domingo, 25 de março de 2012

Heróis da Resistência Cultural

(Matéria publicada no Jornal Diário do Pará em 25.03.2012)

quarta-feira, 21 de março de 2012

Documentário PAU & CORDA revela as histórias de quem faz do Carimbó a sua razão de viver


Quatro grupos de carimbó, quatro cidades paraenses, quatro videoclipes. E as histórias de pessoas que vivem o mais paraense dos ritmos. Essa é a fórmula do novo documentário produzido pela TV Cultura do Pará, "Pau & Corda: Histórias de Carimbó", que estréia no dia 1º de abril, às 18h30, na faixa Cultura.DOC do canal 02. O projeto tem o apoio da Campanha Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro e marca a retomada da parceria com a FUNTELPA e a TV Cultura do Pará.

Idealizado e dirigido por Robson Fonseca, apresentador do programa Invasão na mesma emissora, o documentário foi filmado entre outubro e novembro de 2011 em Belém e três cidades da região do Salgado Paraense, Santarém Novo, Curuçá e Marapanim, locais onde a força da tradição do carimbó se mantém viva graças à dedicação e cuidado de dezenas de mestres e grupos apaixonados por essa arte bicentenária.

Sancari (Belém), Os Quentes da Madrugada (Santarém Novo), O Uirapuru (Marapanim) e Sabiá (Curuçá) foram os quatro grupos que toparam o desafio proposto pela equipe da TV Cultura: gravar videoclipes nas suas respectivas cidades e comunidades, mostrando o universo que inspira e sustenta seu fazer artístico ancestral.

Veja o teaser dos bastidores da gravação com o grupo Os Quentes da Madrugada, da Irmandade de Carimbó de São Benedito (Santarém Novo):


Veja o teaser da gravação com o grupo Uirapuru (Marapanim):


Ao longo do processo de gravações, o diretor Robson Fonseca buscou não só registrar os grupos em ação, mas,principalmente, cenas e histórias reveladoras do cotidiano desta gente."Evitamos, assim, a pretensão de contar a História do Carimbó, e focamos no que realmente interessa, as histórias, os relatos pessoais, buscando apresentar seus processos de criação e as suas condições de vida".

"Registrar este cotidiano encantado pelos tambores é, a partir disso, uma forma de valorizar os detentores de um saber-fazer e os agentes de uma cultura diversa na sua unidade, a Cultura do Carimbó, possuidora de variações e singularidades em cada região, e que enfrenta o descaso do poder público e o preconceito de gestores culturais mal informados há décadas", explica Felipe Cortez, produtor do documentário.
Grupo Sabiá (Vila de Araquaim, Curuçá)

O projeto prevê também a produção de videoclipes de cada grupo para disponibilização na internet e em outros suportes, contribuindo assim para que esses artistas ampliem a divulgação e o reconhecimento de seu trabalho. Além disso, cada grupo receberá cópia integral das gravações e das fotos realizadas em suas localidades, para se tornarem parte do seu acervo e memória, um ato fundamental para quem sempre teve dificuldade de acesso a essa tecnologia.
Grupo Sancari (Belém)

Após sua exibição na programação da TV Cultura do Pará, o documentário poderá ser exibido também na programação nacional da TV Brasil, além de participar de mostras e festivais de vídeo e cinema pelo país e no exterior. Está sendo preparada também um circuito de exibição do filme nas cidades envolvidas, em parceria com a Campanha do Carimbó.

Pau & Corda tem pré-estréia dia 25 na Estação das Docas

E para marcar a estréia, será realizada uma exibição especial para os participantes e apoiadores do projeto, também aberta ao público, no dia 25 de março, no Cine-Teatro Maria Sylvia Nunes, na Estação das Docas.

Após a exibição do documentário,haverá uma grande roda de carimbó com os grupos participantes. E o público está, desde já, convidado a cair nesta farra a la Pau&Corda. Serão distribuídos 200 convites para o público, na recepção da emissora, a partir do dia 18 de março, das 8h às 12h e das 14h às 18h.

SERVIÇO:
Exibição de "Pau & Corda:Histórias de Carimbó"
Data: 25.03.2012
Local: Teatro Maria Sylvia Nunes - Estação das Docas
Horário: 18h
Entrada franca
Contato: Felipe Cortez (Produtor Executivo), 8212-9182
Mais informações: facebook.com/pauecorda
Blog: http://historiasdecarimbo.blogspot.com.br/

segunda-feira, 12 de março de 2012

Um adeus a Mestre Bento

"Água da chuva no mar
Chuva que vem nos molhar
No jogo da maresia
Meu barco vai navegar..."
(Mestre Bento)
*1927-2012+
Prezad@s,

É com grande pesar que compartilhamos a notícia do desaparecimento físico de mais um mestre de nossa cultura, um verdadeiro artista do povo que soube vencer as inúmeras dificuldades e limitações impostas ao seu talento e sua coragem, tornando-sem uma referência fundamental para o carimbó e a cultura paraense e brasileira.

Mestre Bento assinando o pedido oficial
de registro do carimbó ao IPHAN
Janeiro/2008
Na manhã deste domingo, 11 de março, faleceu em Marapanim o Mestre Bento da Trindade Alves, criador do Grupo Raízes da Terra, um dos grandes compositores de carimbó do Pará, representante legítimo do tradicional estilo raiz, pau & corda, praiano, defensor apaixonado e dedicado da cultura popular de nossa região. Liderança entusiasta da Campanha Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro desde sua organização em 2005, na cidade de Santarém Novo, Mestre Bento se foi sem conseguir ver realizado o sonho do reconhecimento do carimbó como patrimônio nacional, bandeira pela qual ele lutou tanto em seus últimos anos de vida.

Mestre Bento perdeu a batalha contra um câncer pulmonar, infelizmente diagnosticado tardiamente, sem possibilidade de cura, tendo lutado contra a doença durante meses em uma penosa jornada onde acabou tendo que enfrentar também a precariedade e a burocracia dos serviços públicos de saúde destinados à imensa maioria da população que não possui dinheiro e nem influência suficientes.

A morte de Mestre Bento lamentavelmente guarda muitas semelhanças com o destino de outros mestres e mestras populares, condenados à pobreza material, à doença e mesmo à solidão de uma velhice que a sociedade recusa-se a reconhecer como detentora de direitos e guardiã de conhecimentos e ensinamentos valiosos, que devem ser cuidados e protegidos. Até quando vamos ver repetir esse filme cruel?

A situação do mestre só não ficou pior graças à mobilização solidária de dezenas de pessoas que, de forma pública ou anônima, buscaram ajudar de algum modo no seu tratamento. Foi um movimento bonito e renovador de esperanças, sinal de que Mestre Bento não lutava sozinho, que havia pessoas de bem carinhosamente formando uma corrente positiva.  Foram inúmeras mensagens na internet, matérias na imprensa, doações, orações, manifestações e shows solidários, entre outras ações. O mestre recebeu o apoio de artistas, autoridades, ativistas, jornalistas, amantes do carimbó, cidadãos(ãs). Tudo isso foi fundamental para que ele mantivesse suas forças no combate à doença, até o último momento. 
  
A cada um(a) de vocês que estiveram junto conosco nessa travessia nós queremos agradecer sinceramente, em nome de Mestre Bento e de sua família . Dizer que foi uma honra para nós poder merecer sua solidariedade e atenção. E dizer também que contamos com vocês sempre, pois existem outros mestres e mestras que também precisam de nosso apoio. Esse foi um dos pedidos de Mestre Bento: "não façam só por mim, façam também pelos outros...". Generoso até o final.

Ao nosso querido Mestre Bento, que nos deixou como legado sua belíssima história de vida e suas maravilhosas composições, queremos agradecer por tudo o que generosamente nos proporcionou. Seu corpo volta ao chão de sua amada Marapanim, mas sua memória e seu exemplo seguem vivos dentro de nossos corações.

Adeus, Mestre Bento. Descanse em Paz.
 
 
OBS: O sepultamento do mestre será realizado nesta segunda-feira, 12 de março, às 15 h.

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

O CARIMBÓ PERDE MESTRE DECO, DE MARACANÃ


Na madrugada desta terça-feira, 24 de janeiro de 2011, o carimbó paraense perdeu Mestre Deco, da cidade de Maracanã, um dos grandes cantadores e compositores de carimbó da região do Salgado Paraense que insistem em manter acesa a chama da tradição maior de nosso povo.

Mestre Deco vinha lutando há meses contra um implacável câncer de estômago, enfermidade infelizmente muito comum entre a população do interior do Estado, que por conta da precariedade do atendimento público de saúde disponível geralmente só consegue chegar ao diagnóstico da doença quando a mesma já se tornou irreversível, sem chance de cura. Como ele já perdemos muitos mestres e mestras. Como ele aguardam sua hora outros tantos, como Mestre Bento, de Marapanim...

João Alves era seu nome de batismo, quando nasceu na cidade de Maracanã, antiga fortaleza de Cintra, em 1952. Pescador de profissão, no carimbó pau & corda da região seu nome era Deco, Mestre Deco, uma das vozes mais poderosas a cantar carimbó por essas bandas, dono de um timbre grave e irresistível que encantou o povo simples das margens do Rio Maracanã e seu entorno. Desde jovem se envolveu com o "zimba", nome que os antigos davam ao carimbó na região, que entrou na sua vida e dela nunca mais saiu.


No auge do boom fonográfico e radiofônico do carimbó, entre as décadas de 70 e 80, Mestre Deco era o vocalista do lendário conjunto "Os Originais de Maracanã", que chegaram a gravar um único LP por uma gravadora de Belém.

Na década de 90 passou a cantar com o grupo "Família Unida", que depois se tornaria o grupo "Unidos de Maracanã", onde permaneceu até 2009. Foi cantando com esse conjunto que participou várias vezes do Festival de Carimbó de Santarém Novo, onde conheceu e participou do movimento pelo registro do carimbó como patrimônio cultural brasileiro, a Campanha do Carimbó. É um dos mestres incluídos no inventário de referências culturais do carimbó, realizado pelo IPHAN desde 2009.

Em 2010 foi registrado pelo músico e pesquisador Alfredo Belo ( o DJ Tudo, de São Paulo), cantando com o reativado grupo "Os Originais de Maracanã", último conjunto em que tocaria. A iniciativa da gravação fazia parte da parceria entre a Campanha do Carimbó e o selo Mundo Melhor e buscava proporcionar aos grupos e mestres do carimbó tradicional a oportunidade de terem um registro em aúdio, de boa qualidade, de sua música maravilhos e tão pouco conhecida ou difundida.

Aos 59 anos, Mestre Deco nos deixa saudades e tristeza por desaparecer de forma tão dolorosa e precoce, sem poder ver os resultados do processo de registro do carimbó como patrimônio imaterial que ainda não se concluiu, e para o qual ele e outros mestres e mestres aguardaram e aguardam com tanta esperança. Esperança de que essa música, essa dança, essa poesia, essa arte popular e bicentenária possa enfim ser devidamente valorizada e respeitada como parte fundamental da cultura de nosso Estado e de nosso País. Esperança de que homens como Mestre Deco, artistas generosos e desconhecidos pelo Brasil, possam finalmente sorrir plenamente pelo reconhecimento de seu trabalho e talento, estejam onde estiverem...


Nossos agradecimentos e aplausos a você, Mestre Deco. Descanse em paz.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

MESTRE BENTO É INTERNADO EM BELÉM E PRECISA DE DOADORES DE SANGUE


A Campanha Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro faz aqui novo apelo solidário em prol de nosso querido Mestre Bento, compositor e fundador do grupo de carimbó Raízes da Terra da cidade de Marapanim (PA), uma das referências vivas da tradição do carimbó paraense, que se encontra gravemente doente há vários meses.

O mestre foi internado hoje em Belém, no Hospital Barros Barreto, e precisa urgentemente de doadores de sangue, de qualquer tipo. Os doadores podem procurar qualquer unidade do HEMOPA e fazer sua doação em nome de BENTO DA TRINDADE ALVES.

Mestre Bento luta contra um câncer pulmonar que o impossibilita de fazer o que mais ama em sua vida: compor, cantar e tocar carimbó, essa música e dança que é patrimônio do povo paraense há dois séculos e se encontra em vias de ser reconhecida, finalmente, como parte fundamental do patrimônio imaterial do Brasil.

Esse processo de reconhecimento e valorização efetiva do carimbó e seus verdadeiros protagonistas, iniciado no Festival de Carimbó de Santarém Novo em 2005, deve muito ao trabalho silencioso e dedicado de Mestre Bento e outros mestres e mestras do carimbó de dezenas de comunidades carimbozeiras espalhadas ao longo de nosso litoral, entre elas a lendária Marapanim. Mestre Bento é entusiasta e grande animador da Campanha Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro e sempre esteve à frente de seu grupo Raízes da Terra defendendo essa causa.

O mestre é um dos homenageados do Festival do Carimbó de Marapanim, que inicia hoje e segue até domingo em sua cidade natal. Porém, por conta do agravamento de seu estado de saúde e sua consequente internação em Belém, ele não poderá ter a alegria de receber essa homenagem pessoalmente. Era um momento muito esperado por ele, que viu com tristeza e preocupação o evento ser adiado várias vezes de novembro para janeiro. "Ficou tão longe..." dizia o mestre a seus amigos e familiares. 

Mestre Bento também não pôde estar presente na homenagem prestada a ele no 10º Festival de Carimbó de Santarém Novo, realizado em dezembro de 2011 pela Irmandade de Carimbó de São Benedito, organização aliada na luta pelo registro do carimbó como patrimônio imaterial.  

Agradecemos a solidariedade de tod@s que puderem ajudar nosso querido Mestre Bento.

Contatos e informações sobre o estado de saúde do mestre podem ser disponibilizados através do telefone (91) 9918-9368 (Zuleide Alves)

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Festival do Carimbó anima Marapanim


Entre os dias 20 e 22 de janeiro de 2012 acontece, pelo sétimo ano, o Festival do Carimbó de Marapanim, que tem como tema ”Vem Dançar Carimbó”. O Festival é uma celebração artistica já consagrada no calendário cultural regional que estimula compositores e toda a classe artística paraense em prol da manutenção e valorização do carimbó.

O festival inclui, entre outras atrações, o concurso de músicas nas vertentes Carimbó Raíz e Carimbó livre, além da mostra coreográfica dos grupos de carimbó de Marapanim, do festival gastronômico, da feira de Turismo e do concurso da mais Bela Sereia do Festival. A festa é promovida em parceria com Associação Marapaniense de Agentes Multiplicadores de Turismo (AMATUR), Prefeitura de Marapanim, Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves, Companhia Paraense de Turismo (PARATUR) e Governo do Estado.

Durante o mês de novembro, grupos tradicionais, compositores e intérpretes do Estado se mobilizam em torno do festival. E este ano, como já aconteceu nas versões anteriores, será realizado o festival competitivo de música, o “Prêmio Mestre Lucindo”, homenagem a um dos principais compositores e responsáveis pela difusão do gênero. Esse grande acontecimento é dividido em duas modalidades: o Carimbó de Raiz, com a participação de grupos locais e composições que contemplam a formação instrumental tradicional e a modalidade Carimbó Livre, que se traduz na leitura livre do gênero, a partir da criatividade de compositores vindos de várias partes do Pará.

O Festival do Carimbó de Marapanim objetiva divulgar talentos, fortalecer a cultura paraense e promover o carimbó. Todo o projeto se desenvolverá nos dias 20, 21 e 22 de janeiro de 2012, na Praça da Bandeira (Cidade Carimbó), cidade de Marapanim.

Para saber mais acesse o blog do festival: www.carimbodemarapanim.blogspot.com/

Fonte: http://www.diarioonline.com.br/noticia-184021-festival-do-carimbo-anima-marapanim.html